O que é Archviz?

Bom, Archviz é uma abreviação de visualização arquitetônica. Esta foi minha profissão nos últimos 10 anos, e minha paixão por muito mais tempo que isso, mas esta área ainda continua sendo um mistério para muitas pessoas. Muitas vezes eu acho difícil descrever exatamente o que eu faço. Às vezes, é mais fácil simplesmente dizer: “Trabalho para um arquiteto”.

Claro, eu sei que em seguida eles me pedem para desenhar suas futuras casas. A verdade é que eu costumava dizer isso, mas eu comecei a dizer que trabalhava com visualização arquitetônica, porque achei isso mais criativo e agradável de dizer. Mas então, Archviz não está diretamente relacionado ligado ou desenho ou elaboração de casas, o que é isso e por que estou tão atraído por isso?

Eu acho o Archviz uma mistura interessante de habilidades técnicas e criativas.

No meu trabalho eu uso vários pacotes de software diferentes, todos poderosos e bem complicados de trabalhar. Uma das partes mais divertidas do meu trabalho é me desafiar com a aprendizagem destes programas e com suas ferramentas. Além da parte técnica, o software sempre serve para um propósito criativo também.

Aprendo constantemente novas ferramentas que acabam entrando em meu repertório, assim me dando mais liberdade criativa, mas vamos deixar estes detalhes para mais tarde. Por enquanto, vamos focar em uma visão mais ampla do processo do Archviz.

Basicamente, meu trabalho envolve pegar o concept de um projeto em 2D e torná-lo 3D usando os meios necessários, para que o cliente possa entender o produto que ele irá receber.  Os concepts podem vir em várias formas diferentes, incluindo: esboços, desenhos em cad, pdf’s, uma página no Pinterest, fotos aleatórias de toda a internet, modelos sketchup, etc. O meu trabalho é interpretar todas essas informações e traduzi-las para que o cliente possa entendê-la completamente.

Da mesma forma que os concepts podem vir de várias formas diferentes, o projeto também podem voltar para o cliente de várias formas diferentes.

Na maioria das vezes, eu produzo simplesmente uma imagem foto realista do futuro edifício. Outras vezes, crio uma animação gerada pelo computador, uma experiência imersiva em realidade virtual do prédio ou até mesmo um impressão 3D para um modelo físico. Isso, é claro, depende das necessidades do cliente, do orçamento e do tempo disponível.

Uma das partes mais importantes de ser um artista em Archviz, é identificar as necessidades do cliente e construir o produto certo para o projeto.

Isso é de extrema importância pois algumas renderizações são feitas simplesmente para retratar o edifício finalizado em uma descrição exata, já outras são para criar um “fator UOU” e surpreender o cliente. Cada projeto tem sua particularidade.

O Que é Archviz E Qual Seu Processo de Criação?

O Processo

Como já foi dito, o processo de geração das visualizações pode ser bastante técnico, e existem diversas ferramentas que podem e devem ser utilizadas. ainda não vamos focar nos detalhes, mas vamos dividir o processo nas suas principais etapas, independente das ferramentas.

Modelagem:

A modelagem é o elemento mais básico de qualquer projeto 3D ou Archviz. É simplesmente a geometria do projeto, criada em um software 3D, do edifício que você está renderizando. esta geometria, é claro, varia de uma caixa básica para um árvore extremamente complexa ou outro objeto. Cada peça é composta de faces individuais e de polígonos. Uma cena mais complexa pode facilmente conter 20 milhões de polígonos, e o artista é responsável por cada um deles. aqui está um exemplo de uma peça de mobiliário complicada em sua forma de “polígonos”.

Um modelo como este pode ser usado de várias maneiras diferentes. Por exemplo, você pode pegar esta cadeira e aplicar cores e materiais nela, ou você pode enviá-la para uma impressora 3D, ou transformá-la em mecanismo de algum jogo de realidade virtual. Vamos falar sobre isso mais a frente.

Iluminação:

Na imagem da cadeira não é apenas o modelo, ali também foi aplicada a técnica de iluminação. Você pode ver algumas sombras suaves no chão sob a cadeira. Este é outro elemento importante de qualquer projeto 3D. Os programas de modelagem, como o 3Ds Max, possuem ferramentas de iluminação incorporadas (SketchUp é uma exceção). Ao adicionar luzes virtuais, e brilho em modelos 3D, os artistas Archviz podem criar formas muito mais realistas. Os softwares 3D avançaram muito nos últimos anos e esta questão de iluminação ganhou uma atenção ainda maior. A Global Illumination, ou GI, é o processo no qual a luza é posta na cena, imitando a física e a luz do mundo real.

Materials:

No mundo real, o modo como percebemos as coisas não depende somente da forma e da luz, mas do modo como a luz salta e interage nessas formas. No 3D lidamos com isso usando os materials. Eles geralmente são compostos por 2D maps e cores. Os 2D maps são simplesmente imagens planas que contêm uma propriedade desse material que indica como ele deve agir quando a luz o atinge. Por exemplo, os maps podem determinar a cor, a reflectividade e a textura de um material. Uma vez que esse material está criado basta adicioná-lo aos seus modelos e adicionar a luz.

Nesta imagem você pode ver tudo se juntando para criar uma renderização que parece  bastante real. E os materials são os responsáveis por isso. Observe a extensão da lente na câmera. Lá é possível ver os pequenos arranhões que permitem identificar o metal escovado. Isso é criado usando um simples map em preto e branco que informa o computador para ser um pouco mais brilhante em algumas áreas e menos em outras. Quando os maps são executados corretamente para mostrar os menores detalhes, eles podem facilmente enganar o olho humano.

Renderização:

Uma vez que todos esses elementos estão reunidos, é hora de renderizar. É neste momento que o artista da uma pausa no trabalho duro e deixa nas mãos do computador. Neste ponto, o computador tomará todos os parâmetros que você criou – seus modelos, suas luzes, seus materiais- e calcula como eles vão ficar, com base em cálculos matemáticos e um pouco de física. então, se você fez tudo correto, você terá uma boa renderização quando esse processo estiver finalizado. Porém não pense que o artista não tem nenhum trabalho ou responsabilidade nesta parte. É aqui que o conhecimento técnico entra em jogo novamente, já que o artista é responsável por controlar como o computador deverá fazer seu trabalho.

Motion:

Seus render não precisam permanecer estáticas. A animação 3D está se tornando muito mais prática em alguns aspectos. por exemplo, no Archviz, uma vez que temos um prédio, podemos simplesmente fazer um animação que mostre o entorno do prédio.

A animação 3D é criada a partir do uso de keyframes. Basicamente, você diz onde a câmera deve estar em determinado e de onde ela deve partir. Estes são os keyframes. O software pode preencher este “espaço” entre os pontos, mas você também pode configurar como isso deve acontecer. É um processo bem rápido quando comparado ao que animadores tradicionais devem fazer para criar este movimento.

Pós-processamento

O pós-processamento é basicamente tudo aquilo que é feito após a renderização (duh!). Esse processo é geralmente realizado em softwares de composição e edição, como o Photoshop e o After Effects. Abaixo você pode conferir um exemplo.

Boa parte desta imagem não foi feito em um trabalho 3D. Os carros, a rua, as calçadas e as fachadas da loja são os renders principais. No pós-processamento as pessoas foram adicionadas, juntamente com os interiores da loja, os edifícios de fundo e um monte de outros elementos. Além disso, as cores e os níveis de luz também foram manipulados usando o Photoshop. É válido dizer que o pós-processamento é uma parte de extrema importância dentro do Archviz, assim como o software usado durante o processo.

E aí, o que você achou dos conselhos? Deixe seu comentário abaixo!

[Artigo Adaptado do Original: Learn Arch Viz: What Is It, and How Do I Do It?]

  • AlvinSoares

    Muito legal esse texto. Mas, gostaria que falasse mais dos softwares, por mais que sejam variados, mas os principais, mais usados, que fazem parte dessa técnica de Archviz. Adorei o texto! Obrigado por compartilhar.

    • Muito obrigado pelo comentário, Alvin Soares!

      Claro, podemos se aprofundar um pouco mais sobre o assunto em um próximo artigo – principalmente sobre os softwares.

      Mas para não te deixar na mão, basicamente os softwares usados para realização da técnica/processo chamado Archviz, são os famosos softwares 3D, como: 3DS Max, Maya, Sketchup, Blender, entre muitos outros.

      Espero ter ajudado 😀

      – Gabriel Mello